quarta-feira, 20 de outubro de 2010

Capítulo 12

Passaram-se alguns meses. Era final de junho; os preparativos para o casamento de Patrícia e Lucas se intensificavam. Aline, de sua parte, já tinha tudo preparado: o acompanhante, o vestido que encomendara justamente para a ocasião, o presente de casamento que daria para o casal. Agora era só esperar para contemplar a consumação da felicidade de seus amigos.
Se por um lado as coisas iam muito bem, por outro as coisas iam mal. Dani havia abandonado os estudos. Diante da situação que se encontrava, tornara-se extremamente difícil para ela dar continuidade aos estudos na faculdade. A garota estava numa tristeza profunda, e embora seus pais a estivessem apoiando, passado o primeiro momento traumático em que ficaram sabendo da situação da filha, Dani não se conformava. Aline ia visita-la de vez em quando; ligava sempre e nunca deixava de dar uma palavra de consolo e de ânimo.
Era sexta-feira. No dia seguinte seria o chá de cozinha de Patrícia. Aline e Vivian saíram depois da aula para comprarem os presentes da amiga.
-Vamos logo Vivi, tenho que ir trabalhar daqui a pouco.
-Vamos entrar nessa loja. Deve ter o que estamos procurando-disse Vivian apontando para uma lojinha de acessórios para cozinha.
As duas entraram na loja.
-Olha que linda jarra... O que acha Vivian? Esse é o item que preciso levar pra Patrícia.
-Lindo. É a cara da Pati. Delicado como ela.
-Acho que vou leva-lo.
-Então já que decidiu o que levar, me ajude a escolher o que eu vou levar.
-O que estava escrito no seu convite?
-Pra eu levar um jogo de condimentos, mas aqui tem muitas opções, não sei qual escolher.
Aline olhou para a prateleira e avistou um jogo de condimentos de vidro e metal, transparentes, lindos. Era a escolha certa para Patrícia.
-Que tal aquela?-a garota apontou.
-É legal-respondeu Vivian, pegando os objetos para certificar-se da veracidade do que estava dizendo.
As garotas se dirigiram ao caixa e pagaram.
-Você vai pra onde agora?-Vivian indagou a Aline.
-Vou trabalhar.
-Ah é verdade. Ia te chamar pra almoçar comigo, mas tudo bem. Mais tarde a gente se vê. Tchau.
-Tchau.
As duas garotas seguiram cada uma seu rumo. Vivian foi para a República e Aline ao trabalho.
Ao chegar à editora, a menina foi logo incumbida de revisar uma série de textos. Seria uma tarefa no mínimo trabalhosa, mas muito prazerosa para ela, que amava as letras. Foi revisando palavra por palavra, frase por frase, texto por texto. Chegou à conclusão de que fazia o que gostava; escolhera para si o caminho certo. De repente uma ideia iluminou sua mente. E se escrevesse um livro?
É. Poderia escolher um assunto, criar personagens diversos, descrever situações do cotidiano. Daria uma boa escritora, não daria?
Ao fim do expediente, a garota ainda tinha a mente cheia de ideias. Poderia inventar histórias, ou até quem sabe poderia escrever sua própria história!
Essa ideia lhe perseguiu por todo o trajeto de volta para a República. Ideias e mais ideias borbulhavam em sua cabeça, e a menina achou que seria uma experiência fascinante. Quando chegou a seu quarto, percebeu-se sozinha. Vivian e sua irmã haviam saído. Era tudo o que ela precisava.
Pegou seu notebook dentro da mochila, e abriu o Word. Começaria a fazer rascunhos naquela hora mesmo.
Começou com uma narrativa em primeira pessoa. Ao fim, não gostou muito, e apagou o arquivo. Recomeçou com uma narrativa em 3ª pessoa. Também não ficou legal.
“Calma Aline. Não é assim. Você precisa pensar”.
Era óbvio que não conseguiria nada se a narrativa não fosse bem pensada. Era isso. Precisava pensar analisar, construir ideias e amadurecê-las.
Desistindo de começar a narrativa, abriu o Messenger, na esperança de que Rick estivesse online. Grande foi seu contentamento quando viu que ele realmente estava lá. Sem titubear, iniciou a conversa.
***-Como vai meu amor?
###-Bem, e melhor agora. Estava pensando em você nesse instante.
***-Mesmo? Que coincidência, também estava pensando em você agora.
###-E posso saber o que pensava de mim?
***-Pensava que estou com saudades, muitas saudades de você.
###-Eu também pensava nisso... E... pensava também na surpresa que estou preparando pra você.
***-???
***-Que surpresa?
###-Se eu pudesse te contar, não seria surpresa, né? Acho que já basta você saber apenas que tenho uma surpresa.
***-Assim você me deixa curiosa!!!
###-É legal ficar na expectativa. Na hora certa você vai saber de tudo.
***-Como você é mal.
###Não. Eu sou legal. Mas não posso te contar nada agora. Quero fazer uma bela surpresa. Bem, mas preciso sair agora.
***-Mas já? Como assim, tão rápido?
###-Sim, eu tenho algo a fazer. Não fique chateada comigo, vou fazer algo referente à surpresa. Beijo te amo.
***-Espera aí, Rick!
Rick se desligou.
-Aff, agora que a conversa estava ficando boa- a garota murmurou pra si mesma.
Ficou chateada, mas não poderia negar: mal podia esperar pra saber qual era a surpresa.

5 comentários:

  1. Amei seu blog.
    Acabei de lançar um livro chamado Qualquer Versar, o download é gratuito. Dê uma lida:
    http://recantodasletras.uol.com.br/e-livros/2555650

    Iran Maia

    ResponderExcluir
  2. Adorei a idéia da Aline escrever um livro. (Igual a Mia em O Diário da Princesa, hehe. O livro que ela escreveu foi publicado de verdade.)

    Eu acho que o Rick vai aparecer no casamento da Pati pra entrar com ela de padrinho.

    Bjos

    ResponderExcluir
  3. Olha eu aqui.. Up! Consegui me atualizar. E tenho que dizer que achei bem legal o rumo q a estória está tomando.. Fiquei um pouco triste quando vi q o Rick tinha partido.. Mas eh legal ver como a Aline tá levando isso numa boa, superando dia após dia!!

    Érica! Eu gosto tanto do clima de suspense no final dos caps.. Bem legal!! Fico sempre intrigada.

    E... meu.Deus! Que surpresa é essa Rick? Conta pra mim!!! Rss

    Beijos.

    ResponderExcluir
  4. eeba, Aline voltou!
    Amei o capítulo, como sempre.

    ResponderExcluir
  5. A surpresa do Rick já se pode imaginar, mas vou colaborar com a escritora e deixar um suspense.

    ResponderExcluir